quarta-feira, 13 de junho de 2018

Ildefonso Brenner – 13 de junho de 1862


Hoje, 13 de junho de 2018, aos 156 anos do nascimento de Ildefonso Brenner, meu avô materno, lembro que ele nasceu em Santa Maria filho primogênito do imigrante alemão Franz Karl Brenner e da santa-mariense Christiana Hoffmeister Brenner.
O pai se fixara na cidade em 1859 com alfaiataria e casa comercial. Em sua Confirmação, em Ellweiler/Hunsrück, em 20.11.1845, Franz Karl recebera sua Bíblia, como era costume na confissão luterana. Na primeira folha em branco, ele registrou o nascimento dos filhos.
 No primeiro registro, ele escreveu:
    Ildefons Antonio Brenner
   Geboren den 13 Junio 1862
Possivelmente uma escolha compartilhada: O pai escolheu Ildefons, nome de origem teutônica que significa “pronto para o combate”. E a mãe quis chamar o filho de Antonio, pois ele nascera no dia desse santo. Embora de família luterana, ela estava ligada ao catolicismo, desde o nascimento, pois a Igreja Evangélica Alemã só foi fundada em Santa Maria, em 1866. Os registros e a legitimação das famílias só poderiam ser na igreja católica.

O batismo católico foi realizado dois anos depois, em 24.9.1864, somente com o nome Ildefonso. 
 O distraído celebrante, Vigário Antonio Gomes Coelho do Valle, registrou “o innocente Ildefonso, nascido a treze de Junho deste anno”, ou seja, 1864. 

Ildefonso Brenner completou sua formação em Dresden, Alemanha, de 1881 a 1885, na Europäische Moden-Akademie
Comerciante
Voltando a Santa Maria, fundou, com seu irmão Germano, a empresa Brenner & Irmão, no térreo do sobrado da família, na esquina noroeste das atuais ruas Dr. Bozano e Serafim Vallandro. Em 1902, associou outros irmãos seus, sob a razão social de Ildefonso Brenner & Cia.

Atividade social
Em 29.9.1887, Ildefonso Brenner foi um dos 31 fundadores do Clube Atiradores Santamariense, com sede provisória na chácara do presidente Carl Müller, onde tinha seu estande de tiro, na atual Rua Barão do Triunfo, ao norte da Silva Jardim.
Em 1888, com 25 anos, foi eleito presidente do Clube Caixeiral Satamariense, sendo reconduzido ao mesmo cargo, em 1901.
Theatro Treze de Maio - Santa Maria
Sua formação cultural o levou a participar com João Daudt Filho da fundação da Sociedade Theatral Treze de Maio, em 1889, e foi um dos atores amadores do grupo formado por Daudt, nos primórdios do Theatro Treze de Maio.
Política
Em 3 de dezembro de 1891, realizou-se a instalação do 1º Conselho Municipal, tendo por presidente Frederico Kessler, e por secretário Ildefonso Brenner, 29 anos.
Durou pouco esse Conselho, pois, no dia seguinte, o Governador Júlio de Castilhos foi deposto, por ter-se recusado a apoiar o golpe praticado por Deodoro da Fonseca, quando dissolveu o Congresso Nacional. Foi nomeada uma junta para governar o Estado, pejorativamente chamada de "governicho". Em Santa Maria, o intendente e todos os membros do 1º Conselho Municipal renunciaram, em 23 de dezembro.

Ildefonso Brenner, com seus irmãos Germano, Júlio e Percival, e com seu cunhado Júlio Laydner,  participaram do grupo de 30 homens da sociedade santa-mariense que expulsaram o Padre Carlos Becker, que deixou a cidade em 18 de novembro de 1895, após 48 horas de ter sido intimado a retirar-se. Sucedendo o Padre Catalano, apreciado por todos, o Padre Becker assumira a paróquia com arrogância ultramontana.
Hospital de Caridade
Em 1898, foi cofundador, como secretário, da Sociedade de Caridade Santamariense, com a finalidade “criar e manter um hospital, onde serão recolhidos e tratados gratuitamente os doentes pobres.”  Essa instituição foi transformada, em 1901, em Associação Protetora do Hospital de Caridade, ainda sob a presidência do Dr. Astrogildo de Azevedo, tendo ainda Ildefonso Brenner como secretário. O hospital foi inaugurado em 1903.
Casamento
Em 7 de maio de 1902, chegando aos 40 anos, Ildefonso casou com Lydia Laydner, 12 anos mais jovem, filha caçula do ourives alemão Jakob Ludwig Laydner e Maria Luiza Niederauer. 
Ildefonso Brenner e Lydia Laydner Brenner
O casal passou a residir na casa onde Lydia nascera, em 10.10.1874, na Rua do Comércio, atual Dr. Bozano nº 1065, onde fora realizado o casamento civil. Em 1929, ano anterior ao casamento de suá única filha, Maria Luíza Brenner, Ildefonso mandou reformar sua casa, dando-lhe nova linguagem arquitetônica.
A fachada manteve seus elementos de 1929 a 1969.

Atividade classista
Exercia liderança entre os comerciantes locais, tendo sido presidente da entidade de classe em duas épocas. Em 1914, quando tinha a denominação primitiva de Praça do Comércio de Santa Maria, e em 1924, quando já passara a se chamar Associação Comercial de Santa Maria.
No ano seguinte, aos 63 anos, possivelmente, retirou-se dos negócios.

Ildefonso Brenner faleceu em sua casa, no dia 10 de abril de 1951, com a avançada idade, faltando dois meses para completar 89 anos.


Nenhum comentário: