terça-feira, 14 de novembro de 2017

Maria Luiza Niederauer Laydner - 186 anos

Esta postagem é feita em memória de Maria Luiza Niederauer Laydner, minha bisavó materna, cujo nascimento ocorreu há 186 anos, neste dia 14 de novembro.
Maria Luiza Niederauer Laydner
Seus pais, Philipp Leonhard Niederauer e Anna Catharina Diehl, naturais do Rheinhessen, chegaram à Colônia Alemã de São Leopoldo, em 15 de janeiro de 1826. Do Rio de Janeiro a Porto Alegre, foram transportados pelo bergantim Carolina, um veleiro de dois mastros, “marcado pela fome e pela morte”.

Três Forquilhas
O casal estava entre os pioneiros da Colônia Alemã de Três Forquilhas, em setembro de 1826. Lá nasceram os filhos Johannes, em 4.4.1827, que se tornaria o heroico Coronel João Niederauier Sobrinho, e Elisabertha, em 24.6.1829.
A Colônia Alemã de Três Forquilhas teve grande e rápido desenvolvimento. A terra era fértil, o clima excelente e os colonos laboriosos. Philipp Leonhard Niederauer, agricultor e com casa comercial no Núcleo da Igreja, tornou-se um dos mais abastados da colônia. Porém, distante de cidades e sem meios de transporte, não havia escoamento para os produtos coloniais.
Após quatro anos de frustrações, 17 famílias alemãs deixaram Três Forquilhas, entre elas os Niederauer.

Dois Irmãos
Em 1831, os Niederauer estavam estabelecidos em Sankt Michael der beiden Brüder , ou seja, São Miguel dos Dois Irmãos, colônia que deu origem à atual cidade de Dois Irmãos,160 km ao sudoeste de Três Forquilhas. A colonização de Dois Irmãos foi iniciada em fins de 1825 e começo 1826; era conhecida como Baumschneise, que significa Picada dos Baum, nome de uma das primeiras famílias colonizadoras.
Dois Irmãos fica 20 km ao norte de Novo Hambrugo

Em Dois Irmãos nasceu Louisa, a terceira filha, em 14 de novembro de 1831, e foi batizada pelo Pastor Carl Leopold Voges, em 18 de fevereiro de 1832.
Voges exerceu seu pastorado em Três Forquilhas, mas também de forma itinerante. Há registros de que celebrou quase 100 batismos na colônia Dois Irmãos, entre 1831 e 1833.
Em 16.3.1992, durante minhas férias em Torres, fui a Itati, distante 55 km, e visitei a Comunidade Evangélica de Três Forquilhas. Itati é o nome indígena imposto, em substituição à antiga denominação daquela colônia alemã, mas a comunidade evangélica a manteve. O Pastor Edemar Zizemer disponibilizou-me o livro eclesiástico do Pastor Voges, onde encontrei o registro de nascimento e batismo de Louisa.

Transcrição:
Louisa, eine Tochter des Philip Niederauer und der Catharina geboren Diehl eheliche Tochter wurde den 14ten  November 1831 geboren und 18ten   Februar getauft. Philip Niederauer gebürtig aus Kettenheim Rhein-Provinz Hessen, Catharina gebürtig aus Thalsheim. Tauftzeugen Johann Anton Neumann und seiner Ehefrau Louisa.
Tradução:
Louisa, filha legítima de Philip Niederauer e de Catharina, nascida Diehl, nasceu em 14 de novembro de 1831 e foi batizada em 18 de fevereiro de 1832. Philip Niederauer é natural de Kattenheim, Província Rheinhessen, e Catharina é natural de Thalsheim. Testeminhas de batismo: Johann a?nton Neumann e sua esposa Louisa.
Come era costume, a menina recebeu, no batismo, o nome de sua madrinha.

Santa Maria
Nove anos depois, no início de 1840, em plena Guerra dos Farrapos, a família chegou a Santa Maria da Boca do Monte. Eram Philipp Leonhard, 43 anos, sua esposa Anna Catharina e as filhas Elisabetha, 11, Louisa, 8, e Joanna Sophia, 5 anos.O primogênito Johannes Niederauer Sorinho, 13 anos, ficara em São Leopoldo e Porto Alegre, em estudos e trabalho..
As viagens eram feitas pelo Rio Jacuí até Rio Pardo. Depois, em mulas de carga e carretas, pela primitivas estradas, até Santa Maria, num percurso de cerca de 170 km.
Pouco depois da chegada à povoação santa-mareiense, faleceu Anna Catharina Diehl Niederauer, em 10 de junho de 1840. Foi sepultada no Cemitério da Capela, junto à pequena igreja católica, no local onde, 82 anos depois, foi erguido o monumento em honra do seu heroico filho, o Coronel João Niederauer Sobrinho.
A primitiva igreja católica de Santa Maria e o Cemitério da Capela.
Desenho de autor desconhecido, supostamente em 1884.

Casamento
Aos 22 anos. em 6 de junho de 1854, Louisa casou com Jacob Ludwig Laydner 24 anos. O casamento foi celebrado pelo Vigário Antonio Coelho Gomes do Valle, na citada igrejinha católica. No livro de registros, seu nome foi escrito Luiza.. Os Niederauer eram evangélicos, porém não havia sua igreja em Santa Maria, cuja comubnidade somente seria fundada em 1866. Por isso e proque o noivo era católico, o matrimônio foi celebrado nessa religião.
Laydner chegara à vila santa-mariense três anos antes e se estabelecera com residência e casa de ourives, na Rua Pacífica, em prédio que mandara construir em 1853.
A casa de Jacob Ludwig Laydner tinha linguagem arquitetônica mais simples,
até que seu genro, Ildefonso Brenner a reformou, no final dos anos 1920.

A denominação mudou para Rua do Comércio e Rua Doutor Bozano. Ali nasceram os oito filhos (quatro homens e quatro mulheres) do casal, inclusive a última, minha avó Lydia Laydner, depois Brenner. Na mesma casa nasceu minha máe, Maria Luiza, bem como minha irmã Maria Helena e eu. 

Maria Luiza Niederauer Laydner faleceu em 7.4.1891, com 59 anos de idade.
Nos registros de nascimento e de casamento, seu nome foi escrito Louisa e Luiza, mas, na família, era chamada Maria Luiza, como está na inscrição em seu jazigo, no Cemitério Municipal de Santa Maria.

__________
Fontes:
Arquivo pessoal
BRENNER, José Antonio. A saga dos Niederauer. Santa Maria Editora UFSM, 1995.
Livro eclesiástico da Comunidade de Três Forquilhas, Itati, RS.
Livro de Casamentos da Igreja Matriz de Santa Maria, 1854.

Nenhum comentário: